Com quem você se compara?

Essa é uma pergunta que nos convida a refletir diante do assunto. Se pararmos para analisar, perceberemos que, em algum momento de nossas vidas, desperdiçamos uma parcela do nosso precioso tempo nos comparando com outras pessoas. E se observarmos ainda mais, será muito fácil perceber que, as redes sociais têm estimulado muito no que diz respeito à comparação.

Afinal de contas, vemos, de forma virtual, apenas o palco da vida dos outros, mas esquecemos muitas vezes que, os bastidores não estão à mostra. Partindo desse princípio, não é difícil concluirmos que a comparação é inútil! Esse tema merece atenção, porque ao nos compararmos, nos colocamos acima ou abaixo de alguém.

Logo, nos sentimos superior ou inferior, como se a comparação fosse uma medida de felicidade ou poder, e na verdade não é. A comparação é um dos destruidores do que existe de melhor em nós. Enquanto estamos no estágio de nos compararmos, embora não seja nada saudável, ainda temos a chance de contornar com mais facilidade essa situação.

Porém, quando caímos na armadilha da ilusão de desejar ter os talentos, as características, a inteligência ou a beleza física dos outros, nos tornamos cada vez mais infelizes, e nem nos damos conta de que dentro de nós existe um enorme vazio, que poderia ser preenchido de nós mesmos. Quando chegamos a esse ponto, sentimos um conflito interior muito grande, chamado insatisfação. Dessa forma, a caminhada para o encontro de si mesmo é mais longa, mas possível. Ser quem não é dá um trabalho danado!

É muito cansativo querer brilhar com a luz do outro, isso gera um desgaste enorme. Não ser autêntico é negar a própria identidade, é esconder os próprios talentos, características e aptidões, é escolher se sentir pesado ao invés de se sentir leve consigo mesmo, é ofuscar a própria liberdade de expressão, impedindo de alçar vôo para ser quem é e poder transmitir o melhor de si ao mundo.

A comparação existe em nossa mente. Criamos um mundo perfeito e na maioria das vezes, em nossa imaginação, essa perfeição está no jardim dos vizinhos, dos amigos ou de outras pessoas, pois acreditamos ser o padrão de realização e felicidade. Agora imaginemos: Se fossemos criados para termos as características que os outros têm ou para sermos como os outros são, com certeza, não seríamos nós, e sim, outras pessoas. Na verdade, a comparação é um dos vilões da evolução pessoal e profissional, que dificulta o nosso crescimento e a liberdade de respirarmos o nosso próprio ar.

E de que forma superar essa situação? Compare-se consigo mesmo! Queira ser uma pessoa ou um profissional melhor hoje do que foi ontem, deseje ser melhor amanhã do que está sendo hoje. Simples! Não almeje, nem em pensamento, ser uma cópia imperfeita de outras pessoas. Simplesmente, aceite como você é procurando evoluir a cada dia! O foco em nós mesmos é o segredo para nos libertarmos aos poucos do vilão da comparação. O autoconhecimento é uma maravilhosa ferramenta que possibilita enxergarmos a nossa fortaleza interior, como também os pontos que atrapalham a nossa evolução. Quando percebemos o que se passa em nosso interior, o que acontece no mundo externo já não nos ameaça, pelo contrário, estaremos dando os primeiros passos para desenvolvermos a auto-estima e autoconfiança, e com isso, nos amaremos tais como somos e acreditaremos em nossa capacidade para alcançarmos as realizações pessoais e profissionais. Que tal experimentar ser você mesmo? Clica nos links abaixo e me segue nas redes sociais.

 

Sejam bem vindos!!!

Facebook: https://www.facebook.com/cleciacoach/

Instagram: https://www.instagram.com/cleciacoach/

Clécia Dias Coach de Autoliderança e Propósito de Vida